Um dos  compromisso da entidade é lutar para que o poder público reconheça a importância da cadeia produtiva do Carnaval

Finalmente começam as ações agora é fato, a Federação Nacional das Escolas de Samba (FENASAMBA), foi fundada por 53 ligas e associações de escolas de samba de dez estados, representando 616 escolas de samba e blocos carnavalescos, e por 37 pessoas físicas, no dia 15 de julho de 2017, durante os debates da 4ª Carnavália/Sambacom – 4ª Feira de Negócios do Carnaval e 4º Encontro Nacional do Samba, no Rio de Janeiro, elegeu no último sábado, dia 30 de setembro, em assembleia geral realizada na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, a sua primeira diretoria executiva presidida pelo ex-presidente da União das Escolas de Samba Paulistanas (UESP), Kaxitu Ricardo Campos, tendo como vice-presidente, Sandro Avelar, vice-presidente do Conselho Deliberativo da Liga Independente das Escolas de Samba do Brasil (LIESB), que reúne as agremiações das séries B, C, D e E, que desfilam na Intendente Magalhães, no Rio de Janeiro, e como secretário-geral, Moacyr Oliveira Filho, de Brasília.

Foram aprovados os estatutos da FENASAMBA e eleitos os demais integrantes da Diretoria Executiva, Conselho Deliberativo e Conselho Fiscal.

Foto: Divulgação

Confira que esta na diretoria da FENASAMBA 

DIRETORIA EXECUTIVA

PRESIDENTE: KAXITU RICARDO CAMPOS – São Paulo

VICE-PRESIDENTE: SANDRO AVELAR  – Rio de Janeiro

SECRETÁRIO-GERAL: MOACYR DE OLIVEIRA FILHO  – Brasília

DIRETOR ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO: WILLIAM SOARES PAIXÃO – Jundiaí

DIRETOR DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS: JUAREZ GUTTIEREZ DE SOUZA – Porto Alegre

DIRETOR DE MARKETING E EVENTOS: FÁBIO BOTELHO – Florianópolis

VICE-PRESIDENTE NORTE: VICENTE CRUZ – Macapá

VICE-PRESIDENTE CENTRO-OESTE: GEOMÁ CLIMINTINO LEITE  –  Brasília

VICE-PRESIDENTE SUDESTE: ROGÉRIO SARMENTO – Vitória

VICE-PRESIDENTE SUL: EDINEI MARTINS – Santa Cruz do Sul

CONSELHO DELIBERATIVO

Titulares: Luiz Gustavo Lobo Barros, Rio de Janeiro; Alexandre Magno Alves Pereira (Nenê), São Paulo; Luciano Martins de Faria, Uberlândia; Gabriel dos Santos Martins, São Paulo;  Evaristo Barbati Mutti, Porto Alegre.

Suplentes: Meire Terezinha da SAILVA, Mauá; Distéfano Bastos – Guaratinguetá; Márcio da Silveira Marins – Curitiba; Joel Costa Junior – Florianópolis e Leandro Mesquisa – Itaboraí.

CONSELHO FISCAL

Titulares: Anderson luís de Araújo – Jundiaí; Erni Fagundes Wollenhaupt – Uruguaiana; Dihego Joe Muller – Joaçaba.

Suplentes: Marcos Tadeu Soares – Juiz de Fora; Leandro Batista de Souza – Barueri; e Edson de Freitas Ferreira – Campinas.

DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE PESQUISA & DESENVOLVIMENTO (nomeado)  – LUIZ CARLOS PRESTES FILHO – Rio de Janeiro

A Assembleia Geral da FENASAMBA aprovou, ainda, a concessão dos títulos de Sócio Benemérito nº 1, ao presidente de honra da Beija-Flor de Nilópolis e membro do Conselho Superior da Liesa, Anisio Abrahão David.

Definiu-se as prioridades de seu Plano de Ação para o triênio 2017/2020, a seguinte pauta de

  • Incluir o Carnaval brasileiro e os desfiles das escolas de samba no Plano Plurianual Nacional e estaduais;
  • Incluir o Carnaval brasileiro e o desfile das escolas de samba na Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO);
  • Encaminhar solicitações de audiências públicas sobre o Carnaval brasileiro e os desfiles das escolas de samba às comissões mistas do Congresso Nacional do Trabalho, Ciência e Tecnologia, Turismo, Cultura, Desenvolvimento Econômico, outras;
  • Solicitar audiência com os ministros da Cultura, do Turismo, do Trabalho e da Ciência e Tecnologia para tratar de mecanismos de defesa e apoio às escolas de samba;
  • Criação de frentes parlamentares no Congresso Nacional, nas Assembleias Legislativas e Câmara Municipais em defesa do Carnaval e dos desfile das escolas de samba;
  • Encaminhar solicitações de audiências sobre o Carnaval brasileiro e o desfile das escolas de samba junto às Federações Estaduais de Indústrias e do Comércio e das Associações Comerciais;
  • Encaminhar solicitação formal para que o Ministério da Cultura crie a RUBRICA CARNAVAL;
  • Estabelecer parcerias com as universidades para realização de teses de graduação, mestrado e doutorado sobre o Carnaval brasileiro e o desfile das escolas de samba e seus reflexos econômicos e culturais;
  • Realização de um diagnóstico nacional sobre os dados do Carnaval de todo Brasil, a fim de saber a real contribuição do nosso espetáculo para a economia nacional, realizado pelo Instituto de Pesquisa e Econômica Aplicada (IPEA), este que irá subsidiar o Plano Nacional de Cultura;
  • Realizar uma discussão sobre os mecanismos de financiamento cultural como o novo PROCULTURA (Lei ROUANET e o Fundo Nacional de Cultura) garantindo a continuidade ao Carnaval da isenção de 100% previsto no art. 18º;
  • Reivindicação de um acento do Carnaval no Conselho Nacional de Políticas Culturais (CNPC) e na Comissão Nacional de Incentivo a Cultura (CNIC), indicado pela FENASAMBA.