O encontro tem o objetivo do  intercâmbio de experiências entre as mais diferentes áreas que envolvem o Carnaval do Brasil.

Foi realizada de 13 a 15 de julho, a Carnavália-Sambacon, que contou com exposições e debates em torno do futuro do Carnaval em diferentes regiões do Brasil, o evento aconteceu no Centro de Convenções SulAmérica, Centro do Rio de Janeiro e contou com a presença do presidente da LIESPA, Juarez Gutierres de Souza.

Além de troca de ideias envolvendo agentes, tanto da festa, quanto de entidades que militam neste segmento, ainda produziu um importante documento; a carta do Rio de Janeiro, que marca a fundação da Federação Nacional das Escolas de Samba.

O encontro entre lideranças de Ligas e entidades que organizam o Carnaval em várias cidades do Brasil teve o intuito de encontrar uma solução para a crise econômica que tem assombrado o futuro do Carnaval. Para compor a mesa, estavam Jorge Castanheira, presidente da Liga Independente das Escolas de Samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro (Liesa); Paulo Sérgio Ferreira, presidente da Liga das Escolas de Samba de São Paulo (Ligasp); Kaxitu Ricardo Campos, ex-presidente da União das Escolas de Samba Paulistanas (Uesp); Fábio Botelho, presidente da Liga das Escolas de Samba de Florianópolis (Liesf); José Alves Peixoto Júnior, Secretário Estadual de Turismo da Bahia; Rogério Sarmento, presidente da Liga das Escolas de Samba do Grupo Especial de Vitória (Liesge); Juarez Guterrez, Presidente da Liga das Escolas de Samba de Porto Alegre (Liespa); Moacir de Oliveira Filho, representante da União das Escolas de Samba de Brasília (Uniesb); e Bi Garcia, prefeito de Parintins, no Amazonas.

Foram pontuados cenários da crise econômica do Brasil e como alguns setores tem reagido aos investimentos no carnaval, e sobres medidas necessárias para melhorar a receita financeira das escolas de samba, vale ressaltar que o evento foi mediado por Leonardo Bruno, jornalista do jornal “Extra”.